O evento teve lugar no Laboratório de Línguas, Sala do Camões, na Extensão da Beira, e também de forma virtual e o seu início foi marcado pelo discurso de abertura proferido pelo Prof. Doutor António Domingos Braço, Director da Faculdade de Letras e Humanidades, que falou sobre os desafios impostos à África quer na ciência, educação e pesquisa em diferentes áreas de saber global com destaque para a saúde e bem-estar, a agricultura sustentável e a biodiversidade como pontos de excelência da Universidade Licungo.

Num evento bastante concorrido que contou com a presença dos Directores Adjuntos da Graduação, e da Pós-Graduação e uma forte audiência de estudantes, docentes, oradores nacionais e estrangeiros e o público em geral. Ao todo, foram discutidos 28 temas tendo como o da palestra inaugural ´´Os Desafios Éticos de Educar em Contextos Adversos“, com a oração do Prof. Doutor Camilo Francisco Cuna, contextualizando o ensino em África no passado, presente e os desafios que caracterizam o ensino na actualidade.

Dos temas apresentados maior parte tinham uma incidência para Moçambique, estudos que retratavam sobre os problemas globais e locais nas zonas centro, norte e sul do país. A título de exemplo, a escravatura do povo africano, a perda e busca de identidade, migração para as minas da África do Sul, conflito militar em Cabo Delgado, educação em Moçambique e em África, as mudanças climáticas, entre outros.

No encerramento, o Director da Faculdade de Letras e Humanidades desafiou aos presentes a ter em atenção aos aspectos discutidos nos dois dias de debate para a mudança da África, com particular enfoque para Moçambique. Terminou dizendo “Uma África genuína, arrojada de valores que enaltecem seus feitos, desde a exploração de recursos ao destino fina.”

DCCI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.